Telefone viagens machupicchu+55 (21) 4042-6227

Whatsapp viagens machupicchu+51 993024550

Lima

  • Catedral de Lima, obra grandiosa construido na época colonial.
  • Circuito mágico das Águas, show de água e raios lazer junto à fantasia, música, dança folclórica do Peru
  • Lima moderno e iluminado

LIMA, "Cidade dos Reis"

A Cidade dos Reis, capital do Peru, está localizada na confluência da cadeia ocidental dos Andes Centrais com o Oceano Pacífico, sobre uma série de planícies regadas pelos rios Rímac e Chillón e os vales que eles formam, no meio de um grande deserto periférico. A população de Lima chega a 10 milhões de habitantes, quase 35% de todos os habitantes do país. É uma cidade fascinante onde encontramos belíssimos distritos e bairros residenciais. O centro histórico, de estilo colonial, é um dos mais preservados do continente. Possui uma grande quantidade de monumentos pré-colombianos e extraordinários museus das culturas pré-hispânicas, da época colonial e da republicana. Também oferece uma grande variedade hoteleira de todos os níveis e estilos.

Lima Pré-hispânica

São muitos os sítios arqueológicos que podem ser encontrados próximos a Lima e que correspondem a diferentes períodos. Caral, localizado a 180 quilômetros ao norte de Lima é um dos locais mais antigos do continente com aproximadamente 5000 anos. A 30 quilômetros ao sul de Lima está o complexo administrativo e religioso de Pachacamác, muito anterior ao surgimento dos Incas. Este vasto complexo foi construído durante diversos períodos de sua história e ali se encontra um ídolo de madeira chamado Pachacamac, uma espécie de oráculo onde eram feitas consultas sobre o futuro. Pachacamác poderia ser dividido em três partes: a construção mais rústica, o Templo do Sol (na sua maior parte bem preservado) e o Templo da Lua ou Acila Wasi, totalmente inca.

Lima foi fundada pelo conquistador Francisco Pizarro no dia 18 de janeiro de 1.535, no vale do rio Rímac (falante), muito próximo da costa e do lado dos Andes. A sua localização foi importantíssima para que os espanhóis conseguissem conquistar os territórios da América do Sul como Chile, Argentina, Colômbia e outros para a administração das suas colônias. A distribuição urbana da nova cidade foi realizada seguindo as determinações do jogo de damas, anteriormente utilizada na Inglaterra e no País de Gales no século X e difundidas pelos espanhóis no Novo Mundo (século XVI). Seguindo as ordens do Imperador Carlos V, a cidade foi dividida como se fosse um tabuleiro de xadrez, onde os lotes ou quadras, perfeitamente quadradas e unidas em ângulos de 90° estavam distribuídos em volta de uma praça central, chamada de Plaza Mayor, Lima esta localizado a uma hora e meia de viagem de avião de Cusco a Machu Picchu e veja as nossas recomendações e dicas para Lima

Praça Principal da Cidade dos Reis, Lima

A Praça Maior de Lima é o centro do poder político e administrativo do país, foi fundada como a capital do Peru em 18 de janeiro de 1535 pelo conquistador Francisco Pizarro.
Dentro do seu perímetro estão localizados os três poderes do Estado: o Congresso, o Palácio de Justiça e o Palácio do Governo. No centro se podem visualizar antiguidades de bronze e cobre que foram mandadas construir pelo vice-rei Francisco de Toledo em 1578.
O acontecimento mais importante da época colonial e republicana foi a proclamação da independência do Peru em 1821 pelo Libertador General José de San Martin.

Durante o vice-reinado foi utilizada para eventos cerimoniais como as touradas e atos de fé que mantinham o santo ofício da inquisição. Em 1855, Ramon Castilla conseguiu que a praça e a cidade tivessem iluminação a gás e, mais tarde em 1860, começou a colocar os trilhos para os primeiros bondes que eram puxados por cavalos e mulas. No século XX deu-se a última transformação da Plaza Mayor de Lima e ela foi declarada como patrimônio da humanidade pela UNESCO em 1991. Aconselhamos visitar a parte colonial com todos seus detalhes arquitetônicos e culturais desta cidade denominada como berço da colonização espanhola na América do Sul. Saiba mais sobre nossos roteiros para Lima e Machu Picchu.

 

 

Distrito de Miraflores

Miraflores na atualidade é um dos bairros com melhor desenvolvimento econômico e turístico de Lima. Foi fundado em 2 de janeiro de 1857, durante o governo do general Ramón Castilla e desde então leva o nome de Distrito de Miraflores.

Os lugares que não se pode perder em Miraflores são:

 

A Igreja Paroquial

Foi construída sobre a antiga igreja de San Miguel de Miraflores. O trabalho moderno do arquiteto Ricardo Malachowski é uma verdadeira obra de arte localizado em frente ao Centro Park. No interior podem-se apreciar as imagens da santa padroeira, Santa Rosa de Lima e vitrais representando as cenas da vida de Jesus.

 

O shopping Larco Mar

Aqui você encontrará a mais ampla gama de restaurantes, lojas de todo tipo, cafés, bares, cinemas e centros de recreação.

 

Praias

Algumas décadas atrás as praias de Miraflores estavam enfeitadas com belos pinheiros que pouco depois foram maltratados e cortados. Agora a imagem está melhorando com o objetivo de recuperar toda essa beleza que era apreciada alguns anos atrás pelos moradores locais.

 

Parque do Amor

Um parque rodeado por esculturas, das quais se destaca a escultura “El Beso” de Victor Delfín. Está bem localizado, de frente para o Oceano Pacífico, o que proporciona uma paisagem linda e é um ótimo programa para se fazer em casal, para se observar o mar. Daí o nome. Contudo, também pode ser aproveitado sozinho.

 

Ponte Villena Rey

A ponte foi construída em 1967 pelo prefeito de Miraflores Dr. Mario Cabrejos. Seu nome foi escolhido em memória ao prefeito Eduardo Villena Rey, quem trabalhou bastante para o desenvolvimento deste distrito de Miraflores.

 

 

 

Distrito de Barranco

Distrito de Barranco, bairro boêmio e populoso fundado em 26 de outubro de 1874. É o menor distrito da capital de Lima, que está localizado na beira do mar e na parte sul, a 20 minutos de taxi da Praça Principal de Lima.

Os lugares imperdíveis em Barranco são:

Ponte dos Suspiros

Foi inaugurada em 14 de fevereiro de 1876, durante o governo do prefeito Don Francisco Garcia Monterroso e sua construção foi necessária para unir as extremidades deste bairro. A ponte testemunhou a destruição de Barranco pelo exército chileno durante a guerra do Pacifico. A cantora Chabuca Granda realizou uma composição para esta linda ponte.

 

Praça São Francisco

É um dos lugares turísticos de Lima e está cercada por antigas fazendas de lindas janelas e suntuosos jardins.

 

Parque Inglês

É uma das mais antigas praças nos arredores onde habitavam famílias inglesas e alemãs. Hoje em dia é um ponto turístico muito interessante.

 

Boulevard de Faustino Sanchez Carrion

Leva o nome em memória do líder da independência do Peru, nesta rua ainda tem descendentes das famílias ilustres do país.

Além de todos estes pontos turísticos temos muito mais:

A Cidade Garganta
Praça Carlos Gardel
Rua José Maria ou Casa Eguren
Caminada Saenz Peña
Parque 14 de Janeiro
Parque de La Paz
Parque Infantil Herói

 

 

Distrito de San Isidro

O distrito de San Isidro é um dos bairros mais visitados pelos turistas e tudo isso se deve aos parques verdes e bem conservados e é um ótimo lugar para descansar e interagir com a cultura local.

Parque Olivares

Parque de linda floresta com áreas verdes e de vários hectares. Foi declarado Monumento Nacional em 16 de dezembro de 1959. Agora é considerado o pulmão verde da cidade e também simboliza a tradição vice-reinado e republicano da capital do Peru.

 

Basílica Virgem do Pilar

É uma verdadeira obra arquitetônica construída em 1948 com um estilo barroco mostrado no altar principal de 9,5 metros de altura esculpida em madeira. A basílica da virgem do Pilar está localizada no cruzamento da Avenida Caminho Real e Avenida Paz Soldan.

 

Catedral de San Isidro

Linda por seu retábulo colonial que foi doado pela família Borda onde esculpiram a flora e a fauna da região e foleado a ouro (Barroco).

 

Casa Hacienda Moreyra

A casa fazenda é uma residência imponente que foi construída na época colonial a 300 anos atrás aproximadamente, habitado por diversas famílias da época que depois passou para mãos de Paz Soldan Moreyra, atual proprietário. Atualmente a residência é utilizada como um restaurante.

 

 

 

Palácio de Governo

Até o ano de 1587 o Palácio dos vice-reis era uma obra de pouco valor arquitetônico, por isso o vice-rei Conde de Vilar encomendou a sua reforma a Francisco de Becerra. O novo palácio ficou pronto por volta do ano 1600 durante o governo do vice-rei Velasco e durou sem maiores problemas até o terremoto de 1687. Abalada por contínuos terremotos e reconstruída segundo as mudanças dos períodos estilísticos que atravessou a Casa de Pizarro, como também é conhecida, foi finalmente restaurada pelo arquiteto polonês Ricardo Malachowski e reinaugurada em 1938 pelo então presidente General Óscar R. Benavides.

No seu interior encontramos salões de mármore decorados com muitos objetos de arte. São famosos os salões: Colonial (ou Pizarro), El Gran Comedor (Sala de Jantar), de Recepções, de Embaixadores e do Conselho de Ministros, entre outros. Há ainda uma capela, um típico pátio de Sevilha, a casa presidencial e quartos para os Guardas Presidenciais.

 

 

Palácio Municipal ou Prefeitura

Quando a cidade de Lima foi fundada, a Prefeitura (Casa del Ayuntamiento) foi construída ao lado da Catedral, mas nesse mesmo século mudou-se para o lugar que ela ocupa hoje. O atual Palácio Municipal foi inaugurado no dia 28 de julho de 1944 e o projeto é do arquiteto Malachowski. Apesar de edifício manter na parte exterior um estilo colonial o seu interior é muito luxuoso e de influência predominante do renascimento francês. Na entrada principal se destacam as réplicas das esculturas Aurigas de Delfos e o São Miguel de Donatello, além das esculturas de São Martim de Porres y Santa Rosa de Lima, dois santos peruanos.

 

 

Palácio da Torre Tagle

O Palácio da Torre Tagle é a mais completa, luxuosa e bela mansão colonial de Lima, do começo do século XVII. É uma obra de arte da arquitetura de Lima por conta da sua perfeita harmonia; os detalhes andaluzes, mouros, crioulos e asiáticos harmonizam maravilhosamente. A sua arquitetura conserva as tradições do século XVII, principalmente na fachada, o formato das janelas, o tipo de sacadas e o estilo barroco na porta principal.

 

 

 

Casa de Aliaga

Esta casa construída sobre um antigo monumento ou oratório indígena do curaca Taulichusco é uma das expressões mais eloquentes dos diferentes aspectos da arquitetura de Lima na sua evolução através das diferentes épocas, desde a fundação da cidade. A construção é contemporânea como a cidade e pertence aos descendentes do conquistador Aliaga, por isso é considerada a propriedade familiar mais antiga da capital do Peru.

 

 

Convento de São Francisco

Atendendo aos pedidos do frei Francisco de Machuca, Francisco Pizarro cedeu em 1536 os terrenos onde seriam construídos o templo e o convento de São Francisco e que ocupa o mesmo lugar até hoje. Assim como todos os conventos da recém-inaugurada Cidade dos Reis, foi uma construção de barro e madeira, muito modesta. A primeira igreja, que começou a ser levantada em 1557 durou 99 anos, pois foi destruída durante o terremoto de 1656. A sua reforma foi finalizada em 1672, tendo como responsável o arquiteto português Constantino de Vasconcello. A fachada do novo templo é o melhor exemplo de arquitetura barroca do século XVII no Peru. A fachada principal se destaca por ter uma filigrana de pedra entre largos muros rusticamente colocados e que combinam com o interior da igreja. Esta fachada é o primeiro retábulo barroco utilizado numa fachada da tradicional cidade de Lima.

Apesar dos constantes terremotos que destruíram valiosos exemplos da arquitetura colonial, este convento conserva as capelas originais e os azulejos e assoalhos dos seus claustros. É original também a fachada da igreja, da sacristia e do coro. O altar maior foi obra do arquiteto Presbítero Matías Maestro (metade do século XVIII) e no convento se encontra a cela de São Francisco Solano, onde estão guardados os seus sagrados restos mortais.

 

 

Convento de Santo Domingo

Em 1547 iniciou-se a construção no terreno cedido por Pizarro em 1535. O templo foi levantado utilizando-se tijolo e cal e estava composto de três naves abobadadas. Foi concluído em 1599 graças ao Frei Salvador de Ribera, filho de Nicolás de Ribera el Viejo, primeiro prefeito de Lima. O convento demorou para ser construído e só foi concluído no século XVII. O claustro do noviciado, obra de Domingo Valderrama datada de 1586, foi destruído pelo terremoto de 1746 e a sua reconstrução ficou bem diferente do original.

Em 1812 a cúpula foi refeita e a cargo de Matías Maestro foi levantado um novo altar, agora de estilo neoclássico. A parte mais valiosa é a torre, reconstruída no final do século XVIII sob a direta supervisão do vice-rei Amat. Em Santo Domingo, merece ser apreciado o seu belíssimo convento (ainda considerado um lugar de paz em pleno centro), o claustro principal, a capela dedicada a São Martim de Porres, os restos dos claustros do Colégio São Tomás de Aquino e seu belíssimo pátio interior (os azulejos ali encontrados foram trazidos de Sevilha e colocados em 1606).

 

 

Igreja de São Pedro (São Paulo)

Em 1568 os jesuítas se instalam nos terrenos onde hoje existe a igreja e anos depois começam os trabalhos de construção do templo. Simultaneamente, começou-se a levantar um segundo templo onde hoje está localizada a capela, chamada de Penitenciária, concluída em 1574. A igreja foi sendo decorada com o tempo e quem mais contribuiu foi o irmão Bernardo Bitti, que anteriormente tinha trabalhado com Michelangelo.

Em 1625, o Padre Nicolás Durán Mastrelli, Procurador de Roma, trouxe as plantas da igreja de Jesus pensando que poderia servir de modelo e com elas foi levantado um novo templo, terminado em 1638, antes de o estilo barroco dominar a cidade de Lima. Mesmo que no início foi chamado de São Paulo, esse grande templo jesuíta de Lima é o que hoje conhecemos como o templo de São Pedro. Sobreviveu sem muitos danos ao grande terremoto de 20 de outubro de 1687, apesar de um abalo posterior ter destruído a sua capela maior. Os trabalhos mais importantes foram feitos nos retábulos, que são os mais bem conservados da cidade.

 

 

Igreja de Santo Agostinho

Da sua antiga arquitetura resta apenas a belíssima fachada barroca (século XVII). A sacristia e a ante-sacristia são o que essa igreja tem de mais valioso, famosas pelo valor das suas esculturas, móveis, quadro e artesonado da ante-sacristia, formando um conjunto colonial de grande qualidade no convento.

Culinária:

Lima também é considerada a capital gastronômica da América Latina, sendo assim, podemos encontrar três dos restaurantes que estão entre os cinquenta melhores do mundo.

 
 

Maido

Restaurante: Maido.

Posição: 44 no ranking dos 50 melhores do mundo.
Chef: Mitsuharu Tsumura.
Esse é um restaurante que mistura a comida japonesa com a comida peruana. A comida é apresentada de maneira inusitada, exótica e com uma combinação harmônica de sabores. É oferecido nesse restaurante dois tipos de experiências: Nigris e Nikkei. A experiência Nigris oferece 20 pratos dependendo da pesca do dia, enquanto a experiência Nikkei, que é o diferencial desse restaurante com pratos como polvo na brasa, ceviche Nikkei, além do tradicional cuy (seria o porquinho da Índia, que no Peru é muito apreciado), entre outros. Também poderá optar por menus de degustação de 6 ou 10 pratos.

 

Astrid y Gastón

Restaurante: Astrid y Gastón.
Posição: 14 no ranking dos 50 melhores do mundo.
Chef: Gastón Acurio.
A experiência oferecida aqui conta com 30 pratos que são preparados com 35 ingredientes originais de Lima. Comidas típicas do Peru em suas versões gourmet, trazendo uma experiência intensa e saborosa e tudo sem deixar suas essências peruanas e seus temperos que são cultivados em uma horta sustentável do próprio restaurante.

 

Restaurante Central

Restaurante: Central.
Posição: 4 no ranking dos 50 melhores do mundo.

Chefs: Virgilio Martinez e Pia León.
Todas as ervas utilizadas são plantadas por eles, seu chocolate é conservado de maneira especial e a água é purificada e engarrafada no próprio local. Tudo isso para garantir uma degustação única e memorável. Sua comida é bem elaborada e seu cardápio permite ao cliente uma variedade de pratos e sabores que cobre desde a Amazônia, unindo sabores tradicionais com combinações exóticas. Para aproveitar e degustar o melhor da gastronomia do Peru montamos o seu roteiro gastronômico para Machu Picchu Lima. Consulte-nos.

Consulte com nossos agentes de viagens sobre nossos pacotes para Machu Picchu e Peru em Promoção

 

 

DirceturProm PeruPeruMinisterio de Cultura